Despertar da Primavera Chega a SP

9 03 2010

Há cerca de três anos estreou na Broadway a adaptação musical da peça de Frank Wedekind, de 1891, “O Despertar da Primavera”. Sucesso nos EUA até hoje, esse musical foi praticamente copiado em termos das músicas e cenários nessa versão para os palcos brasileiros. Seria lugar comum criticar o espetáculo com uma lente de aumento que revelasse simplesmente seu aspecto americano, de musical do Off-broadway e depois da Broadway.

Vou fazer diferente, impactado pela emocionante versão dirigida pela reconhecidamente talentosa dupla Moeller e Botelho, escrevo sobre um espetáculo fascinante, que emociona o público com sua temática atual e perfeição formal. A primeira peça e também a de maior sucesso do dramaturgo Wedekind, que influenciou Bertold Brecht, retrata a vida dos adolescentes Melchior, Moritz e Wendla, na Alemanha do século XIX. No seu processo de descoberta do amor e do sexo, os jovens batem de frente com uma sociedade conservadora, que não permite sequer o diálogo sobre as questões sexuais.

A paixão de Wendla e Melchior é condenada pela escola e pelas respectivas famílias, que culpam o rapaz pela morte de seu amigo Moritz. Melchior, um brilhante aluno, de rara inteligência e beleza, é expulso da escola e condenado ao reformatório por ter escrito um tratado de dez páginas, que, com seu conteúdo erótico, teria influenciado o destino trágico de seu melhor amigo. O texto possui uma atualidade perturbante, por mostrar a perspectiva dos adolescentes frente a uma sociedade que busca, de forma hipócrita, formatá-los e moldá-los à sua imagem: o que é diferente, singular, deve ser transformado para fazer parte de um projeto social que prima pela repressão, militarismo e aposta na violência e na ignorância para educar os jovens da Alemanha do oitocentos.


Com uma temática que foca a descoberta do corpo e das sensações, bem como do lado obscuro que faz parte da nossa mente, o texto possui elementos impressionistas e expressionistas, evocando uma atmosfera perturbadora, criada por imagens sombrias e mesmo ingênuas. O musical de Steven Sater, na sua versão brasileira, possui um inegável cuidado estético. Os figurinos de Marcelo Pies são muito bem elaborados, com destaque para os vestuários masculinos. O cenário, de Rogério Falcão (aqui não sabemos o que é original e o que foi reproduzido do original), evoca tanto a Bauhaus como o expressionismo de um Gabinete do Doutor Caligari. A coreografia de Alonso Barros se adequa perfeitamenta à música de Duncan Sheik, supervisionada por Claudio Botelho: Um Rock tocado pela banda, ao vivo no palco. A iluminação, bem como a qualidade do som captado pelos microfones quase invisíveis, também são de primeira, acompanhando a desenvoltura do elenco, muito jovem e uniformemente bem trabalhado. Os destaques individuais são Rodrigo Pandolfo, como Moritz, Pierre Baitelli, no papel de Melchior, e a sublime Letícia Colin, interpretando Ilse. Eduardo Semerjian faz uma série de personagens adultos, com sutileza e qualidade. O primeiro ato da peça é mais desenvolto que o segundo, um pouco arrastado, principalmente pelo canto um pouco americanizado de alguns solos. A cena do cemitério possui rara beleza, e fica marcada como um acontecimento especial, seja pela teatralidade ou pela beleza dos seus efeitos especiais.

O DESPERTAR DA PRIMAVERA
Música de Ducan Sheik
Texto e Letras de Steven Sater
Baseado na obra de Frank Wedekind

DIREÇÃO – Charles Möeller
VERSÃO BRASILEIRA – Claudio Botelho
DIREÇÃO MUSICAL – Marcelo Castro
COREOGRAFIA – Alonso Barros
CENÁRIO – Rogério Falcão
FIGURINOS – Marcelo Pies
VISAGISMO – Beto Carramanhos
DESIGN DE LUZ – Paulo César Medeiros
DESIGN DE SOM – Marcelo Claret
COORDENAÇÃO ARTÍSTICA – Tina Salles
PRODUTOR EXECUTIVO – Luiz Calainho
DIREÇÃO DE PRODUÇÃO – Aniela Jordan, Beatriz Secchin Braga, Monica Athayde Lopes

ELENCO:
Malu Rodrigues, Letícia Colin, Pierre Baitelli, Rodrigo Pandolfo, Thiago Amaral, Débora Olivieri, Eduardo Semerjian, Alice Motta, André Loddi, Bruno Sigrist, Clara Verdier, Danilo Timm, Davi Guilhermme, Eline Porto, Estrela Blanco, Felipe de Carolis, Felipe Tavolaro, Laura Lobo, Lua Blanco, Mariah Viamonte, Thiago Marinho

SERVIÇO

O Despertar da Primavera
Teatro Sergio Cardoso
Rua Rui Barbosa, 153 – Bela Vista
Tel: (11) 3288-0136
Estreia dia 12 de março até 2 de maio

Quintas, sextas e sábados, às 21h.
Domingos, às 18h.

Ingressos a R$ 60.
Classificação etária: 14 anos

Fonte: Opinião e Notícia

Anúncios

Ações

Information

One response

13 03 2010
Lourenço

Carlos Gregório não está mais no elenco. É Eduardo Semerjian quem faz os papéis adultos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: